Geral

Geral
Publicidade

Prisão de casal suspeito de aplicar golpes em esquema de pirâmide é estendida por mais 5 dias, diz polícia

De acordo com a PCMG, o prazo foi dilatado para que a instituição amplie e conclua as investigações. O casal foi preso na última sexta-feira (9).

Prisão de casal suspeito de aplicar golpes em esquema de pirâmide é estendida por mais 5 dias, diz polícia


A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informou nesta terça-feira (10) que a prisão temporária de Isabela Cristi Gomes e David Robson Barros, casal suspeito de aplicar golpes em esquema de pirâmide, na Grande BH, foi estendida por mais cinco dias.


De acordo com a PCMG, o prazo foi dilatado para que a instituição amplie e conclua as investigações.


O g1 pediu posicionamento do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e aguarda retorno.


Isabela e David são suspeitos de causar prejuízos a cerca de 300 pessoas por meio de uma plataforma de investimento no estilo pirâmide.


Eles foram detidos na última sexta-feira (6). Isabela está no Presídio de Vespasiano, e David Robson, no Presídio de Lagoa Santa.


"Ele informou que obtinha, como investidor, cerca de R$ 150 mil. Vamos começar a trabalhar em cima da questão dos bens (do casal)", informou o delegado Flávio Teymeny.


Ainda conforme o delegado, o suspeito alegou que estava ocorrendo uma reestruturação na empresa, além de uma auditoria para que as dívidas fossem sanadas.


Grupos de Whatsapp

De acordo com levantamentos da polícia, o casal tinha 12 grupos no Whatsapp com cerca de 250 participantes em cada um, totalizando mais de três mil investidores ou interessados no negócio.


"O plano que eles ofereciam era escalonado. Ou seja: 100% de lucros para aqueles clientes que optassem pelo lucro em até 40 dias. Ofereciam até 300% para aqueles clientes que optassem em receber esse lucro em até 210 dias. No mercado não existe essa prática. Nos negócios, inclusive em ações, é difícil encontrar 100%" (de lucro), detalhou o delegado.


O casal é investigado pelos crimes de associação criminosa, estelionato, crimes contra economia popular e o sistema financeiro.


Prisão de casal suspeito de aplicar golpes em esquema de pirâmide é estendida por mais 5 dias, diz polícia


O que diz a defesa

O advogado do casal, Jackson Caetano, diz que os clientes não cometeram crime.


"A pirâmide não existe nesse tipo de trabalho. É um trade em que pessoas que entram sabem que é um risco, as pessoas assinam um contrato de risco. No Brasil, o crime cibernético ainda não é totalmente esclarecido, ou seja, não podemos falar que eles cometeram um crime (...) Nós vamos trabalhar junto à Justiça para demonstrar que eles não cometeram um crime, eles simplesmente representam as pessoas diante de uma plataforma", afirmou.

A prisão

De acordo com a Polícia Militar, Isabela e David Robson foram presos no apartamento onde residem, em Lagoa Santa.

Segundo o sargento Alexandre Miranda Gonçalves, eles resistiram à ordem de prisão, e a porta do imóvel precisou ser arrombada. Além disso, uma filha pequena, de aproximadamente 3 meses, foi utilizada como escudo.


A corporação informou que havia mandado de prisão contra os dois, que eram considerados foragidos.


Investigação

Os suspeitos começaram com a empresa em 2019, e as investigações tiveram início em maio de 2021, após a denúncia de uma das vítimas. A polícia não descarta que investidores de outros estados também tenham sido vítimas do esquema.



Além de cantores e influenciadores digitais, Isabela e David também se apresentavam como "traders". No mercado financeiro, esses profissionais realizam transações diárias de compra e venda, especialmente na bolsa de valores.


Nenhum comentário

Publicidade

Publicidade

Destaque

randomposts

Anuncie

Publicidade
PUBLICIDADE 300X250
Publicidade