Geral

Geral
Publicidade

Após alta hospitalar, adolescentes feridos com faca em escola prestam depoimento no Rio

Com machucado no dedo, agressor está em hospital e, segundo delegado, não tem condições psicológicas de falar 

Após alta hospitalar, adolescentes feridos com faca em escola prestam depoimento no Rio

Após receberem alta hospitalar, os três estudantes feridos com uma faca por um colega dentro da Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes, na Ilha do Governador, zona norte do Rio, nesta sexta-feira (6), estiveram na delegacia da região no início desta noite para prestar depoimento.


O delegado Marcus Henrique, da 37ª DP (Ilha do Governador), explicou que as versões das vítimas e do autor devem ajudar a esclarecer o que aconteceu. Ainda não se sabe a motivação da agressão.

Com um ferimento no dedo, o adolescente que atacou os colegas do 8º ano ainda está no hospital e pode até ser transferido de unidade. Por enquanto, ele não tem condições de falar.


"De acordo com a médica que ouvimos, ele apresenta um quadro de surto psicótico e não tem condições de ser ouvido no momento", explicou Marcus Henrique em entrevista à Record TV Rio.


O delegado responsável pela investigação confirmou, ainda, que o agressor já era atendido pelo Capsi (Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil). Depoimentos de funcionários da escola e da mãe do menor revelaram que o jovem tem um perfil introspectivo e dificuldade de socialização.

Segundo Marcus Henrique, testemunhas afirmaram que, quando o jovem era cobrado por alguma demanda, tinha um comportamento "desrespeitoso e agressivo" para com os funcionários na escola.


O adolescente foi apreendido em flagrante por ato infracional análogo a tentativa de homicídio duplamente qualificado. A faca usada para ferir os colegas foi entregue na delegacia. Além disso, dois celulares foram recolhidos na investigação.


Duas meninas e um menino sofreram ferimentos leves durante a agressão na escola municipal na manhã desta sexta. De acordo com informações da Record TV, um professor da classe utilizou uma cadeira para separar o agressor das vítimas.


A Secretaria Municipal de Educação lamentou o ocorrido e informou que desenvolve ações de prevenção e orientação voltadas aos casos de violência contra crianças e adolescentes ou entre estudantes.


A partir da próxima segunda-feira (9), equipes da Educação, Saúde e Assistência Social vão atuar no atendimento a todos os alunos, funcionários e comunidade escolar da unidade.




Fonte: r7

Nenhum comentário

Publicidade

Publicidade

Destaque

randomposts

Anuncie

Publicidade
PUBLICIDADE 300X250
Publicidade